INSIDE Life / Vida

As 12 leis do karma

Há quem diga que uma ateia (de formação católica) não deveria falar sobre religião. No entanto o meu profundo respeito e estudo permite-me falar e escrever sobre algumas. Hoje falo sobre Budismo e as leis do karma. Ensinamentos magníficos que nos permitem ver o mundo com outros olhos, os olhos do coração.

Na filosofia budista, cada princípio ajuda a pensar e refletir sobre o que fazemos, o nosso comportamento e o que devemos melhorar para viver bem o nosso presente.

O Karma nada mais é do que uma lei de causa e efeito. Uma lei inviolável do universo.

A Lei Maior: tudo o que semear, colhe

Todas as ações têm consequências. Se fizermos o mal, teremos mal nas nossas vidas, se fizermos o bem, teremos o bem. Se queremos paz, amor nas nossas vidas, devemos dar paz e amor. Esta é a lei maior de causa e efeito e por regra nunca é no mesmo momento.

A Lei da Criação: tudo o que queremos vem por ação e participação

A nossa vida é criada por nós, pelas nossas intenções que determinam as mudanças. Mesmo que por vezes não sejamos capazes de compreender, nós fazemos parte do universo, e devemos conseguir criar o que desejamos, é nossa responsabilidade garantir um ambiente favorável aos nossos desejos.

A Lei da Humildade

A recusa em aceitar o que é o que é.

A aceitação é uma grande virtude. Para que possamos alterar os contextos, devemos em primeiro lugar aceitá-los, conhecê-los. Se apenas formos capazes de ver os aspetos negativos dos outros, ficaremos parados num nível inferior da existência. Ao nos concentrarmos nas coisas erradas, em vez de fazermos alterações para resolvê-las, corremos o risco de nos comprometer a atraí-las ainda mais.

A Lei do Crescimento

O nosso crescimento supera qualquer circunstância.

Podemos apenas estar no controle da nossa mente, mas temos que mudar e não o mundo ao nosso redor. Quando conseguirmos mudar o que temos dentro de nós, a nossa vida também muda em favor da espiritualidade.

A Lei de Responsabilidade

As nossas vidas são nossas e de mais ninguém.

Só nós somos os arquitetos e responsáveis ​​pelo nosso destino, através das escolhas que fazemos todos os dias. Ninguém, à exceção de nós próprios, pode atribuir-se com o controlo da nossa vida ou dos nossos pensamentos. Quando um evento negativo acontece connosco, é porque provavelmente fizemos algo que foi nessa direção. A solução é lidar com as nossas ações com responsabilidade.

A Lei da Conexão

Todo o universo está interligado, tanto no pequeno quanto no grande.

Passado, presente e futuro estão unidos por um fio comum. Se queremos modificar as coisas, temos que trabalhar para fazer isso. Uma etapa leva a outra e todas são importantes para atingir uma meta, então necessitamos começar a trabalhar para transformar esses links se pretendermos algo diferente.

A Lei do Foco

A atenção deve ser direcionada numa única atividade.

É a chamada lei do foco: não podemos apenas ter pensamentos negativos e pensar em crescer espiritualmente. Devemos direcionar a nossa atenção para obter o que queremos, sem nunca perder de vista o nosso objetivo.

A Lei da Hospitalidade

Demonstrar a nossa abnegação mostra as nossas verdadeiras intenções.

O desprendimento é uma virtude rara, mas sem ela é irrealizável crescer espiritualmente. Aquilo em que acreditamos deve mostrar-se nas nossas ações. Devemos aprender a dar para colocar em prática o que aprendemos.

A Lei da Mudança

A história repete-se, a menos que mudemos.

Se não nos esforçarmos para mudar as coisas, as coisas sempre permanecerão as mesmas e a história continuará a repetir-se indefinidamente. Para influir o nosso passado, precisamos de refletir sobre o nosso presente: o que apreciaríamos mudar? Apenas aplicando a resposta a esta questão, as energias negativas darão lugar às positivas.

A Lei do Aqui e Agora

O presente é tudo que possuímos.

Se continuarmos a pensar no passado, não vivemos no presente. Pensamentos, arrependimentos, remorsos, é preciso desprender-se deles para olhar em frente e abrir-se a novas oportunidades. Assim, aprendemos a renovar o nosso espírito.

A Lei da Paciência e Recompensa

Nada de valor é criado sem uma mente paciente.

Quando queremos alcançar algo, não devemos ter urgência. Só com paciência e persistência podemos usufruir das alegrias finais que, no entanto, não são um ponto de chegada, mas um reinício em direção a novos objetivos que nos fazem sentir vivos e protagonistas do nosso presente.

A Lei do Significado e Inspiração

A melhor recompensa é aquela que contribui para o todo.

Os nossos sucessos são o resultado de uma série de ações: cada pequena coisa que fizemos, cada sacrifício ajudou a moldar a nossa personalidade. É por esse motivo que as nossas decisões não podem ser superficiais, tomadas de forma leviana, devemos colocar todo o nosso coração nisso.

Catarina Talina

Catarina Talina

Nasceu em Coimbra no Ano Internacional da Paz. Tendo em conta o desassossego que traz dentro, nem mesmo esse facto lhe trouxe calma. A ânsia de saber sempre mais, de se aperfeiçoar todos os dias e contribuir para um mundo melhor, deixa-a sempre neste frenesim. Soube desde cedo, desde que se lembra, que queria ir para a Universidade, mas não em Coimbra, queria tornar-se mais independente, conhecer uma realidade nova. E assim foi, aos 18 anos foi para o Norte estudar e aos 23 anos foi para Lisboa, para trabalhar.
Foram duas experiências que lhe permitiram crescer, expandir os seus horizontes e dar mais valor à sua Cidade. E assim regressou. Depois de algumas pós-graduações relacionadas com a sua área de formação, a pouco e pouco percebeu, que aquilo para o qual tinha estudado já não fazia assim tanto sentido para si, já não era suficiente. Foi procurando novas oportunidades, todas elas diferentes, procurando identificar-se com alguma.
Hoje faz parte de um projeto com o qual se identifica completamente, trabalha com uma equipa extremamente profissional onde todos reconhecem o trabalho desenvolvido por cada um.

Posts Similares