Pequenas Histórias Parvas com Crianças

Pequenas Histórias Parvas com Crianças – História 1 – Cacia

Em 2008 eu vivo em Coimbra e decido levar a minha sobrinha mais velha, a Joana, 13 anos nesse ano, à Eurodisney.

Vou buscar a Joana ao norte, vive em Lousada e estamos a descer para ir a Coimbra e depois Lisboa para apanhar o avião para Paris.

Amena cavaqueira, o que vamos jantar, o que vamos fazer em Paris e estamos a passar Estarreja.

Um pouco mais à frente a Joana grita: “Que cheiro tia!!!!! Foste tu!!!!”…

Não consegui explicar que estávamos a passar Cacia e a origem do cheiro. Ela estava mesmo chateada por supostamente eu ter mandado uma “bufa” com ela no carro… Era CACIA! Nem me deixava falar! Na verdade tudo o que dissesse ia parecer desculpa… ERA CACIA!

Nota: memória recuperada em virtude de ter assistido a duas sonoras bufas no intervalo de uma formação de liderança… Magias da atualidade e claro, pessoas que se esquecem de fechar o microfone!

Anabela dos Reis Moreira

Viajou por muitos países, conheceu muitas pessoas e muitos lugares. Aprendeu com todas as pessoas que observou e com quem conversou. Trabalhou em Portugal, na Bélgica, nos EUA e em Angola. Hoje desenvolve o seu trabalho na área da gestão de pessoas (recursos humanos), formação, coaching e mentoring. E escrita, adora escrever. Assumiu diferentes funções e colaborou com empresas em diferentes estados de maturação, quer em ambiente nacional, quer internacional. Desempenhou funções relacionadas com: gestão do talento e tarefas inerentes; gestão de recursos humanos em sentido lato e formação e desenvolvimento. A nível académico, estudou direito na Universidade de Coimbra, mas foi em Psicologia e no Porto que encontrou a sua verdadeira vocação. É certificada em Coaching, PNL e estuda todos os dias mais um pouco, vê mais um pouco, ouve mais um pouco para poder ser mais cultivada. Faz programas de shaping leaders e reshaping leaders e gosta muito do que faz. Costuma dizer às crianças que forma enquanto voluntária em educação para os direitos humanos: “quando mais soubermos, quanto mais conhecemos e sentimos, menos somos enganados”. Enfrenta cada dia com uma enorme alegria que é simples de ver e sentir!